Sexta-feira, 27 DE Fevereiro 2009

MODALIDADES

ANDEBOL

 

ATLETISMO

 

BASQUETEBOL

 

GINÁSTICA

 

FUTEBOL

  

VOLEIBOL

publicado por ana às 00:41
Assuntos tratados no blog:
Quarta-feira, 25 DE Fevereiro 2009

 EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTO

Betty Pop Gliter

 O AQUECIMENTO é uma condição indispensável a toda a sessão de Educação Física e Desporto qualquer que seja a sua natureza. Com efeito, os alunos vão ser solicitados no conjunto dos seus recursos e na procura da eficácia do movimento.

 
DEFINIÇÃO: Denominamos AQUECIMENTO a todo o protocolo de exercícios ou de tratamento preliminar de uma sessão de actividade física que permita que o sujeito atinja as condições óptimas (físicas, fisiológicas e psicológicas) com a finalidade de realizar as melhores prestações possíveis.
 
Quanto maior for o nível de um indivíduo numa determinada prática física, maior terá de ser a duração e a especificidade do seu aquecimento. Desta forma, a alto nível, para actividades de elevadas necessidades energéticas e técnicas, a duração do aquecimento pode ser superior a 1 hora e 30 minutos. A nossa intenção não é a de aplicar o aquecimento utilizado no alto nível para a prática escolar, mas sim de extrair dele as implicações fundamentais que permitam ao professor por em prática uma metodologia útil.
O aquecimento possui diversos objectivos que podem ser expressos em três rubricas:
- Prevenir lesões ao elevar a temperatura dos músculos em actividade e aumentar a lubrificação articular,
·      Aumentar o rendimento; um músculo cuja temperatura diminui em relação à normal, vê a sua contractilidade e o seu rendimento diminuir,
·      Melhorar as prestações; o aquecimento permite o aumento da velocidade de contracção do músculo, da potência desenvolvida e muito simplesmente da capacidade de trabalho físico.

 

 

Vantagens e efeitos do aquecimento sobre as grandes funções
 
Aspectos musculares
O aumento de temperatura local, no plano muscular, (passagem de 37 º a 38º centígrados) provoca uma diminuição da viscosidade muscular (frottements no interior do músculo); os músculos, os tendões e os ligamentos tornam-se mais estiráveis, o que proporciona uma diminuição do risco de lesão.
Sabe-se que o aumento de temperatura permite melhorar a capacidade de separação do oxigénio (O2) fixado pela Hemoglobina e como tal o seu rendimento de utilização (cerca de 15% por grau centígrado elevado). O músculo contrai-se mais rapidamente e com mais força. Além disso, a capacidade de utilização de substâncias energéticas e de oxigénio são incrementadas devido a um aumento da irrigação sanguínea em direcção aos músculos envolvidos. Enfim, o aquecimento permite aumentar a velocidade das reacções enzimáticas.
 
Aspectos cardiovasculares
O aquecimento provoca uma adaptação cardiovascular mais rápida. Permite um aumento do consumo máximo de oxigénio (VO2máx), da frequência e do débito cardíaco, de débitos musculares locais e da pressão arterial. Além disso, para uma mesma intensidade de esforço, as concentrações de lactatos no sangue diminuem.
 
Efeitos biomecânicos
 
Através do aquecimento, a elasticidade articular dos ligamentos e dos tendões melhora assim como também melhora, de uma forma notável, a lubrificação das articulações. Estas modificações, provocam uma melhoria na fluidez e na eficácia do gesto prevenindo os problemas articulares.
 
Efeitos neuro-musculares
 
Os influxos nervosos propagam-se muito mais rapidamente a uma temperatura de 38,5º do que a 37º.Com efeito, pode-se observar um abrandamento na velocidade de condução se arrefecermos a fibra nervosa, o que modifica a velocidade de contracção muscular e a velocidade de reacção do indivíduo, assim como os parâmetros psíquicos propícios à prestação motora tais como a vigilância, a atenção, a percepção, a concentração e a motivação.

 

 

A ALIMENTAÇÂO

 

Desde sempre a dietéctica apareceu ligada ao exercício físico.Já na Antiguidade, os Gregos consideravam a dieta (entendida como regimen alimentar) não unicamente como a indicação dos alimentos, mas também uma forma de vida.

No corpo humano, que funcionalmente podemos considerar como uma máquina, o músculo aparece-nos como o verdadeiro mecanismo que produz trabalho mecânico, conseguindo-o a partir da transformação da energia química armazenada que resulta da alimentação.

A alimentação deve merecer particular interesse, quer por nos acompanhar durante toda a vida quer mesmo por ser responsável, em grande parte, pela nossa saúde.

Nos nutrientes, podemos considerar os hidratos de carbono (açúcares), as gorduras, as proteínas e também as vitaminas e os sais minerais; os hidratos de carbono são a principal fonte energética do homem. Os açúcares estão armazenados, no organismo, sob várias formas: como glicose sanguínea, como glicogénio no fígado e, ainda, como glicogénio no músculo

Os seres humanos têm necessidades alimentares específicas, que variam em função da idade, do peso, da altura, do sexo, das actividades que exercem, etc. Porém, há leis que devem ser comuns a todos:

- Lei da Quantidade

comer, de forma equilibrada, o necessário;

- Lei da Qualidade

comer os vários alimentos que fornecem ao organismo todas as substâncias indispensáveis ao seu pleno funcionamento;

- Lei da Harmonia

comer proporcionalmente os diferentes alimentos, respeitando o equilíbrio necessário;

- Lei da Adequação

comer de forma adaptada às condições específicas de cada indivíduo.

Finalmente podemos ainda considerar a Lei das Três Horas - que é o tempo que o desportista deve respeitar entre a última refeição e a prática de uma actividade desportiva, porque durante a digestão a distribuição sanguínea é desigual, passando a haver maior concentração nas vísceras e menor afluxo às massas musculares, pelo que é preciso aguardar o reequilíbrio sanguíneo, para que os músculos possam estar preparados para o esforço físico sem o perigo de graves riscos.

O número ideal de refeições diárias é de cinco, sendo três como principais (manhã, meio-dia e jantar) e duas intermédias (a meio da manhã e a meio da tarde). Há ainda quem considere aconselhável tomar um copo de leite ao deitar.

 

O TREINO

 

Princípios do treino

O desenvolvimento das capacidades motoras processa-se mediante a relação contínua entre a carga de treino e a adaptação respectiva. É essa relação que permite desenvolver, no organismo humano, o ciclo de auto-renovação da matéria viva: no treino, a carga funcional provoca no organismo uma desorganização e decréscimo da capacidade de trabalho provocando fadiga. Durante o processo de recuperação (repouso e alimentação adequada o organismo reestrutura-se e permite aumentar a capacidade de rendimento.

São vários os princípios que na actividade desportiva importa respeitar, pois deles depende a melhoria da condição física e o conhecimento da aplicação das cargas e dos tempos de repouso, indispensáveis para se obterem as adaptações específicas.

Princípio da unidade / totalidade

A organização de todas as acções que integram uma sessão de treino deve constituir um processo coerente, interligado, sistematizado e progressivo, ou seja, deve revelar uma unidade com princípio, meio e fim. Em todas asa unidades desportivas aumenta-se o rendimento dos praticantes quer através das competições, quer, essencialmente, da utilização correcta das cargas de treino.

Essa carga tem como objectivo principal dotar o organismo de processos de adaptação que lhe permitam superar, física e psicologicamente, os esforços.

Componentes da carga Caracterização.
Intensidade Grau de empenhamento em função do máximo das possibilidades do praticante.
Volume Totalidade do trabalho executado.
Duração Tempo necessário para a execução de um exercício ou conjunto de exercícios.
Densidade Conjunto de pausas ou intervalos da unidade de treino, que permitem manter uma correcta relação entre a carga e a recuperação. A uma carga mais intensa deve corresponder uma pausa maior.
Frequência Quantidade de repetições de um exercício, variando em função da capacidade de recuperação de cada atleta.

Princípio da progressão

As cargas de treino devem ser aumentadas de forma gradual e progressiva à medida que o treino avança, pois só assim se consegue aumentar a capacidade de rendimento.

O repouso é uma parte integrante do treino, que permite a recuperação do esforço e a repetição do exercício.

Princípio da reversibilidade

As adaptações variam segundo o tipo de esforço e o tempo de repouso. Há adaptações que desaparecem muito rapidamente e outras de forma mais lenta. Quanto mais tempo se demora a adquirir a adaptação ao esforço mais tempo se demora a perder essa capacidade; também, quanto mais rapidamente se conseguir essa adaptação, mais rapidamente se pode perder essa capacidade. As adaptações ao esforço desaparecem após algum tempo; por isso, é indispensável a continuidade de trabalho.

 


publicado por ana às 00:55
Assuntos tratados no blog: ,

 

 

 

 

 

Voleibol

 

Voleibol - fundamentos técnicos

 
Podes visionar estes videos com os principais fundamentos técnicos do Voleibol. Atenção, pois os videos não estão em português (de Portugal) e tens que ter cuidado com a terminologia (pe: saque=serviço, bloqueio=bloco, etc.).

 



 

O voleibol é um jogo colectivo praticado por duas equipas, cada uma composta por seis jogadores efectivos e, no máximo, seis suplentes, podendo um destes desempenhar a função de “libero”.
 
O voleibol diferencia-se pelo confronto indirecto entre os adversários, pois, durante o encontro, cada equipa permanece no seu meio-campo. Orientando-se por uma estrutura cíclica de acções, desde o gesto que inicia o jogo (serviço) até à acção defensiva (recepção do serviço) que é o primeiro gesto de ataque.
O jogo realiza-se num campo rectangular, com a dimensão de 18x9 metros, com uma rede no meio a uma altura variável conforme o sexo e categoria (exemplo dos seniores e juniores: masculinos – 2,43m; femininos – 2,24m).
O objectivo do jogo é enviar a bola por cima da rede para o campo do adversário, fazendo com que caia neste, e evitar que caia no da própria, no cumprimento do regulamento específico.
Não há tempo de jogo definido e ganha um jogo a primeira equipa que conseguir vencer três “sets”. Ganha um “set” a primeira equipa que chegar aos 25 pontos, com dois pontos de vantagem. Em caso de empate em “sets”, a 2-2, o quinto parcial é disputado só até aos 15 pontos, sendo aqui também necessária a diferença de dois pontos. Em ambos os casos não existe limite pontual, caso a vantagem de dois pontos não se verifique.
Um encontro é dirigido por uma equipa de arbitragem constituída por um árbitro (principal), um 2º árbitro, quatro juízes de linha e um marcador.


Videos tu.tv

 
Campo de Voleibol
 Utilizando uma vez mais uma imagem da Texto Editora, podes ver representado um campo de Voleibol com as dimensões oficiais, ou seja, tem as medidas necessárias para se poder realizar um jogo oficial de Voleibol de 6 contra 6.
Num jogo oficial de Voleibol as equipas são constituídas por 6 jogadores, mas no 1.º ciclo, e porque temos de começar a aprender aos poucos, cada equipa tem apenas 2 jogadores (mais 2 suplentes que jogam na segunda parte).
 
Imagem da Texto Editora
Não te esqueças que, apesar de ser com as mãos que tocas na bola, é muito importante o trabalho das pernas... Usa-as para te movimentares rapidamente e te colocares na melhor posição para poderes jogar a bola correctamente. Isso pode fazer toda a diferença!
E também não te esqueças de usar a cabeça! Claro que não é para acertares na bola, mas para pensares bem no que deves fazer para conseguires ganhar o ponto...
 

 

publicado por ana às 00:40
Assuntos tratados no blog:

Basquetebol 
Basquetebol (4x4)
·       Cada equipa deverá ser composta por 7 jogadores (4 efectivos e 3 suplentes). Se o número anteriormente referido não for respeitado, a equipa participa na actividade mas os resultados não serão contabilizados para efeitos de classificação. Obrigatoriamente todos os jogadores terão de participar pelo menos uma das partes de cada jogo que a equipa realize, não podendo ser substituídos, excepto por manifesta incapacidade física;
·      A duração do jogo é adaptada à realidade de cada actividade, sendo o mesmo composto por duas partes, sem intervalo, com duração mínima de 8 minutos e máxima de 10 (cada parte);
·     É importante, tal como acontece nas restantes modalidades, que os alunos sempre que possível se encontrem devidamente equipados;
·     No aspecto disciplinar sempre que se verifique uma situação de maior gravidade, o aluno infractor deverá ser imediatamente substituído, não podendo entrar em mais nenhuma situação no jogo, cabendo esta decisão em primeira instância ao professor. Se o mesmo não tomar a atitude acima descrita o árbitro tem toda a liberdade de o fazer;
·        O cesto de campo convertido representa 2 pontos e o lance livre 1 ponto;
·         Quando um aluno quer progredir em campo com a posse de bola, deve batê-la no solo (driblar), ou seja, fazê-la ressaltar no solo sucessivamente mas com uma só mão, não podendo bater a mesma com as duas mãos simultaneamente, e se a agarrar não pode voltar a driblar;
·         Relativamente aos passos:
Þ    Um jogador com a bola nas mãos só pode executar dois apoios (contacto do pé com o solo) devendo lançá-la, passá-la ou batê-la no solo antes de executar o 3.º apoio. Neste caso se o fizer diz-se que deu passos;
Þ    É permitido a um jogador rodar desde que receba a bola quando está parado ou parar legalmente. Rodar é deslocar um pé à volta do outro mantendo este em contacto com o solo, a este chama-se pé eixo;
·        É assinalado lançamento livre quando um jogador em acto de lançamento sofre falta e quando um jogador sofre falta mais violenta;
·        É assinalado lançamento livre quando um jogador empurra, rasteira, “atropela”, etc. o adversário. No caso de o mesmo aluno manifestar esta atitude 2 vezes, será retirado do jogo, podendo ser substituído. O jogador infractor não poderá actuar em nenhum outro momento desse jogo;
·         Depois de cesto a bola é reposta na linha final;
·         Depois de falta ou violação a bola é reposta no ponto mais próximo da linha lateral ou final respectiva;
·        Em qualquer reposição da bola em jogo os adversários têm de estar a pelo menos 2 metros da bola até que esta entre em jogo;
·       O resultado final será aquele que se encontra no final do tempo regulamentar do mesmo. Serão atribuídos 3 pontos à vitória, 2 pontos em caso de empate e 1 ponto à derrota.
Vitória
3 Pontos
Empate
2 Pontos
Derrota
1 Ponto
Falta de Comparência
0 Pontos
- Se houver empate na Classificação Final das equipas na série, os critérios de desempate são:
1 - Resultado entre as equipas empatadas;
2 - Diferença de pontos marcados e sofridos;
3 - Equipa com mais pontos marcados.

 
 
Campo de Basquetebol
Na imagem (da Texto Editora) que está em baixo, está representado um campo de Basquetebol com as dimensões oficiais, isto é, tem as medidas obrigatórias para se poder praticar o Basquetebol de 5 contra 5 de forma oficial, como é o caso do Campeonato Nacional de Basquetebol (Liga TMN de Basquetebol).
.
E não te esqueças que no Basquetebol não podes andar a tocar no adversário... Por isso muito cuidado!
Vê com atenção estas 3 figuras para NÃO fazeres igual! Pois se o fizeres, é falta!
E não te esqueças de usar bem a cabeça! Pensa muito bem no que deves fazer quando a tua equipa tem a bola e quando não a tem...
Imagens da Texto Editora
 

 Comédia no Basquetebol

 

 

 

publicado por ana às 00:32
Assuntos tratados no blog:

Andebol

 

Andebol (5x5)
  • Cada equipa deverá ser composta por 8 jogadores, sendo 3 suplentes. Se o número anteriormente referido não for respeitado, a equipa participa na actividade mas os resultados não serão contabilizados para efeitos de classificação. Obrigatoriamente todos os jogadores terão de participar pelo menos numa das partes de cada jogo que a equipa realize, não podendo ser substituídos, excepto por manifesta incapacidade física;
  • A duração do jogo é adaptada à realidade de cada actividade, sendo o mesmo composto por duas partes, sem intervalo, com duração mínima de 8 minutos e máxima de 10 (cada parte);
  • É importante, tal como acontece nas restantes modalidades, que os alunos sempre que possível se encontrem devidamente equipados;
  • No aspecto disciplinar sempre que se verifique uma situação de maior gravidade, o aluno infractor deverá ser imediatamente substituído, não podendo entrar em mais nenhuma situação no jogo, cabendo esta decisão em primeira instância ao professor. Se o mesmo não tomar a atitude acima descrita o árbitro tem toda a liberdade de o fazer;
  • Nenhum jogador, desde que de posse de bola, pode penetrar na área do guarda-redes;
  • Aquando da marcação de faltas, a equipa que defende deve estar à distância de 2 metros;
  • Na execução do lançamento de linha lateral o aluno deverá ter pelo menos um pé em cima da mesma;
  • O livre de 7 metros é marcado quando:
  • O jogador é impedido de jogar numa situação manifesta de golo;
  • O jogador defender dentro da área de guarda-redes de forma intencional;
  • Cada jogador não pode dar mais de 3 passos com a bola na mão;
  • A bola se for defendida pelo guarda-redes e ultrapassar a linha final é pertença do mesmo. Se tocada por um defensor é marcado um canto na junção da linha final com a linha lateral;
  • O jogador da equipa de posse de bola, se atrasar a bola ao seu guarda-redes estando este dentro da sua área de baliza, será punido com um livre de 9 metros;
  • O resultado final do jogo será aquele que se encontra no final do tempo regulamentar do mesmo. Serão atribuídos 3 pontos à vitória, 2 pontos em caso de empate e 1 ponto à derrota.
Vitória
3 Pontos
Empate
2 Pontos
Derrota
1 Ponto
Falta de Comparência
0 Pontos
- Se houver empate na Classificação Final das equipas na série, os critérios de desempate são:
1 - Resultado entre as equipas empatadas;
2 - Diferença de golos marcados e sofridos;
3 - Equipa com mais golos marcados.

 

Campo de Andebol
Na figura que está em baixo, que foi feita pela Texto Editora, está representado um campo de Andebol com as dimensões oficiais, isto é, tem as medidas obrigatórias para se poder praticar o Andebol de 7 contra 7 de forma oficial, como é o caso do Campeonato Nacional de Andebol.
Já sabes, e é bom que nunca esqueças, que na área que está pintada de verde (como podes ler na figura, a Área de Baliza) só pode jogar o Guarda-Redes e... mais ninguém!!!

 

 

 

publicado por ana às 00:30
Assuntos tratados no blog:

Futebol

 

 

O futebol é o desporto colectivo mais praticado no mundo. É disputado num campo rectangular por duas equipas, de onze jogadores cada lado, que têm como objectivo colocar a bola dentro das balizas adversárias, não é permitido o uso das mãos, excepto pelos guarda-redes e nas cobranças dos arremessos laterais, (onde o jogador deve lançar a bola para dentro do campo com as duas mãos). Esse objectivo é chamado de golo (Portugall) - ambos os termos derivam da palavra inglesa “goal”.

A baliza é um rectângulo formado por duas traves ou postes verticais, fincados no solo, uma trave ou travessão paralela ao solo e uma faixa branca posicionada no gramado exactamente abaixo do travessão. Ali fica posicionado o guarda-redes, o guarda-redes só pode usar as mãos dentro da sua área, defendendo o golo. Uma partida de futebol é vencida pela equipa que marcar um maior número de golos. O torneio mais prestigiado do futebol é o Campeonato do Mundo FIFA, os maiores vencedores são Brasil (1958, 1962, 1970, 1994, 2002), Itália (1934, 1938, 1982, 2006) e Alemanha (1954, 1974, 1990).

 

 

Futebol (5x5)
  • Cada equipa deverá ser composta por 8 jogadores, sendo 3 suplentes. Se o número anteriormente referido não for respeitado, a equipa participa na actividade mas os resultados não serão contabilizados para efeitos de classificação. Obrigatoriamente todos os jogadores terão de participar pelo menos numa das partes de cada jogo que a equipa realize, não podendo ser substituídos, excepto por manifesta incapacidade física;
  •  A duração do jogo é adaptada à realidade de cada actividade, sendo o mesmo composto por duas partes, sem intervalo, com duração mínima de 8 minutos e máxima de 10 (cada parte);
  • É importante, tal como acontece nas restantes modalidades, que os alunos sempre que possível se encontrem devidamente equipados;
  • No aspecto disciplinar sempre que se verifique uma situação de maior gravidade, o aluno infractor deverá ser imediatamente substituído, não podendo entrar em mais nenhuma situação no jogo, cabendo esta decisão em primeira instância ao professor. Se o mesmo não tomar a atitude acima descrita o árbitro tem toda a liberdade de o fazer;
  • A reposição da bola na linha lateral é efectuada com o pé, não podendo obter-se golo directamente;
  • O lançamento de baliza só pode ser efectuado unicamente pelo guarda-redes e com a mão, não podendo obter golo directamente;
  • A bola quando passada ao guarda-redes por um elemento da sua equipa, não pode ser jogada com as mãos. Caso o faça, deverá ser marcado livre indirecto na linha de área de baliza paralela à linha de baliza;
  • Em qualquer reposição da bola em jogo os adversários têm de estar a pelo menos 5 metros da bola até que esta entre em jogo;
  • O resultado final do jogo será aquele que se encontra no final do tempo regulamentar do mesmo. Serão atribuídos 3 pontos à vitória, 2 pontos em caso de empate e 1 ponto à derrota.
Vitória
3 Pontos
Empate
2 Pontos
Derrota
1 Ponto
Falta de Comparência
0 Pontos
- Se houver empate na Classificação Final das equipas na série, os critérios de desempate são:
1 - Resultado entre as equipas empatadas;
2 - Diferença de golos marcados e sofridos;
3 - Equipa com mais golos marcados.

 

 

 

Campo de Futebol
De novo com uma imagem da Texto Editora, é possível ver representado um campo de Futebol com as dimensões oficiais, ou seja, com as medidas necessárias para se poder realizar um jogo oficial de Futebol de 11.
Imagem da Texto Editora

 

 

Não te esqueças que o objectivo do jogo NÃO é dar o maior número de toques na bola e ficar o máximo de tempo possível sem a passar...! O objectivo é simples: marcar golo na baliza adversária e impedir que marquem na nossa! Para conseguires isso tens de ser inteligente e jogar em equipa! Temos sempre de pensar em conjunto: se eu ganhar toda a equipa ganha, tal como se eu perder toda a equipa perde! Por isso passa a bola e desmarca-te bem para que te a possam passar de novo. E não fiques parado lá à frente quando perderes a bola: vem rápido defender juntamente com os teus colegas! Todos atacam e todos defendem! E em equipa é tudo muito mais fácil...

 

 

A música da Liga dos Campeões

árbitro



publicado por ana às 00:24
Assuntos tratados no blog:

 

 

MODALIDADES

 

ATLETISMO

 

BASQUETEBOL

 

GINÁSTICA

 

FUTEBOL  

 

VOLEIBOL

  

Capacidades físicas

Resumo

Regras do voleibol

Resumo

Regras do basquetebol

Resumo

Regras do salto em altura

Resumo

Regras das corridas de velocidade

Resumo

Capacidades motoras

Resumo

  

 

 TESTES ACTIVOS

EDUCAÇÃO FÍSICA

aqui

 

 

 

glitters

  

 

publicado por ana às 00:14
Assuntos tratados no blog:
pesquisar neste blog
 
arquivos
2012
2011
2010
2009
posts recentes

...

...

subscrever feeds
mais sobre mim